30 de abril de 2014

Fotos do dia - 30 de abril de 2014


Autoridades do estado de Washington, na Costa Oeste dos Estados Unidos, investigam se um barco encontrado no litoral da cidade de Ocean Shores chegou ao local cruzando o Oceano Pacífico após o tsunami que atingiu o Japão em março de 2011
Autoridades do estado de Washington, na Costa Oeste dos Estados Unidos, investigam se um barco encontrado no litoral da cidade de Ocean Shores chegou ao local cruzando o Oceano Pacífico após o tsunami que atingiu o Japão em março de 2011Crédito: AP Photo/Ocean Shores Police Department
Uma rajada de vento tirou o solidéu da cabeça do papa Francisco durante a missa desta quarta-feira na Praça São Pedro
Uma rajada de vento tirou o solidéu da cabeça do papa Francisco durante a missa desta quarta-feira na Praça São PedroCrédito: EFE/Claudio Peri
Polícia registra cidadãos que vão votar no colégio eleitoral da localidade de Ramadi, no Iraque. Nesta quarta-feira, os iraquianos desafiavam a violência para participar das primeiras eleições legislativas desde a saída das tropas dos Estados Unidos
Polícia registra cidadãos que vão votar no colégio eleitoral da localidade de Ramadi, no Iraque. Nesta quarta-feira, os iraquianos desafiavam a violência para participar das primeiras eleições legislativas desde a saída das tropas dos Estados UnidosCrédito: EFE/Str
eiros se amontoam na plataforma a espera do metrô na estação de Earls Court, em Londres, no segundo dia de greve dos trabalhadores do metrô
Passageiros se amontoam na plataforma do metrô na estação de Earls Court, em Londres, no segundo dia de greve dos trabalhadores do transporteCrédito: EFE/Facundo Arrizabalaga
Mulher observa a pintura em uma maça gigante exposta nos jardins do palácio de Soestdijk em Baarn, na Holanda. Uma coleção de 51 maças gigantes inspirada na família real holandesa ficará exposta ao público até dia 31 de agosto
Mulher observa a pintura em uma maça gigante exposta nos jardins do palácio de Soestdijk em Baarn, na Holanda. Uma coleção de 51 maças gigantes inspirada na família real holandesa ficará exposta ao público até dia 31 de agostoCrédito: EFE/Lex Van Lieshout
Viúva de uma das vítimas da avalanche no Monte Everest reza diante dos retratos dos mortos durante uma cerimônia em memória às vítimas. Pelo menos 16 pessoas morreram na avalanche do dia 18 de abril
Viúva de uma das vítimas da avalanche no Monte Everest reza diante dos retratos dos mortos durante uma cerimônia em memória às vítimas. Pelo menos 16 pessoas morreram na avalanche do dia 18 de abrilCrédito: EFE/Narendra Shrestha
Ativistas ucranianos desenham um mapa do país, ressaltando em vermelho os territórios em disputa com os separatistas pró-russos, na frente do Parlamento de Kiev
Ativistas ucranianos desenham um mapa do país, ressaltando em vermelho os territórios em disputa com os separatistas pró-russos, na frente do Parlamento de KievCrédito: EFE/Sergey Dolzhenko
A escritora brasileira Nélida Piñón visita um dos dormitórios da Casa-Museo Pérez Galdós, na Espanha
A escritora brasileira Nélida Piñón visita um dos dormitórios da Casa-Museo Pérez Galdós, na EspanhaCrédito: EFE/Elvira Urquijo
Roberto Carlos come carne durante lançamento de biografia polêmica

Cantor reuniu amigos na noite da última terça-feira (29)




Cantor reuniu amigos na noite da última terça-feira 29 - 1 (© Caio Duran e Thiago Duran AgNews)

Caio Duran e Thiago Duran AgNews
Por FAMOSIDADES
SÃO PAULO - Roberto Carlos reuniu amigos e convidados para o lançamento de sua biografia, realizado em São Paulo, na noite da última terça-feira (29).
A obra foi aprovada pelo próprio cantor, que é contra as biografias não autorizadas - ele, inclusive, chegou a promover uma campanha contra as obras no ano passado.
Com tiragem limitada, apenas 3 mil cópias, o livro será liberado para vendas em lotes de 500 unidades. Cada uma delas custará ao comprador R$ 4,5 mil.
Ex-vegetariano
O 'Rei' aproveitou o evento para livrar sua imagem de outra recente polêmica e ofereceu carne vermelha para os convidados no local.
Contratado como garoto-propaganda de um frigorífico, o cantor afirmou que voltou a consumir o alimento após 30 anos. Contudo, garantiu: "Nunca fui vegetariano. Eu só não comia carne vermelha, mas comia peixe e frango".
Tudo porque boatos deram conta de que o famoso, na verdade, só disse ter voltado a ingerir carne após receber uma grande quantia em dinheiro.
Para provar o contrário, o veterano fez questão de provar os aperitivos na frente dos fotógrafos de plantão.




Em depoimento, madrasta inocenta pai de 


Bernardo


Lucas Azevedo
Do UOL, em Porto Alegre
Ampliar


Caso Bernardo 

1 / 12
15.abr.2014 - O menino Bernardo Uglione Boldrini, 11, foi encontrado morto em um matagal na cidade de Frederico Westphalen (a 447 km de Porto Alegre). O pai do garoto, o médico Leandro Boldrini, a madrasta, a enfermeira Graciele Ugulini, e uma amiga dela, a assistente social Edelvânia Wirganovicz, são suspeitos e foram presos preventivamente. O corpo foi encontrado na segunda-feira (14), enterrado em um matagal. O pai do garoto chegou a registrar um boletim de ocorrência do desaparecimento Leia mais Reprodução
Graciele Ugulini, 32, madrasta de Bernardo Boldrini, 11, inocentou o marido e pai do menino, Leandro Boldrini, da participação de seu assassinato. A declaração foi dada em depoimento à polícia no final da manhã desta quarta-feira (30), no presídio de Ijuí (402 km de Porto Alegre), no norte do Rio Grande do Sul.
Graciele está presa desde o dia 14, suspeita de planejar e matar o enteado, com a participação do marido e da amiga, a assistente social Edelvania Wirganovickz, 40, segundo a polícia.
"Ela disse para mim que ele não teve participação, que não tem nada a ver com a participação", confirmou o seu advogado, Vanderlei Pompeo de Mattos, em Ijuí.
No depoimento, que durou cerca de uma hora, Graciele sustentou aos policiais que o crime não foi premeditado, e que teria ido a Frederico Westphalen --cidade em que o menino foi morto e enterrado-- tratar de negócios.
A titular da Delegacia Regional de Três Passos (cidade em que Bernardo morava), delegada Caroline Bamberg Machado, deve fazer um pronunciamento ainda nesta tarde.
Durante a madrugada, Boldrini e Edelvania foram levados para casas prisionais na região metropolitana de Porto Alegre.
O médico estava detido no presídio de Ijuí e, por volta das 3h desta quarta-feira, foi transferido para a PASC (Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas), a 55 km da capital. Já Edelvania, que também estava em Ijuí, foi mandada para Penitenciária Estadual Feminina de Guaíba, 27 km distante de Porto Alegre.
Os motivos para as transferências não foram informados pela Susepe (Superintendência de Serviços Penitenciários), nem pelos defensores dos presos.


Joaquim Barbosa determina que Genoino volte para a prisão

Decisão foi tomada dois dias depois de um relatório afirmar que o estado de saúde do ex-parlamentar não é grave

REDAÇÃO ÉPOCA COM AGÊNCIA BRASIL E ESTADÃO CONTEÚDO

Kindle
Share 
O ex-presidente do PT José Genoino foi o primeiro dos condenados pelo mensalão a se apresentar à polícia (Foto: Eliária Andrade / Agência o Globo)
O presidente do Supremo Tribunal Federal(STF), Joaquim Barbosa, determinou nesta quarta-feira (30) que o ex-deputado federal José Genoino volte para o Presídio da Papuda, no Distrito Federal. Genoino cumpreprisão domiciliar temporária desde novembro do ano passado, quando reclamou de problemas cardíacos e foi transferido para um hospital e depois para prisão domiciliar.
>> A mística do punho cerrado: gesto do movimento operário foi um ato simbólico ou de desespero?

Barbosa tomou a decisão dois dias depois de ter recebido um laudo no qual médicos da Universidade de Brasília (UnB) afirmaram que o quadro de saúde do ex-deputado é estável e não é grave.

>> Dirceu reclama das condições na Papuda: “Ó lá a goteira”
Ele foi condenado a quatro anos e oito meses de prisão em regime semiaberto na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Nesse regime, o preso pode sair da cadeia durante o dia para trabalhar, mas precisa retornar para dormir na prisão. O trabalho tem de ser autorizado pelo Judiciário.

>> STF absolve mensaleiros de formação de quadrilha

Genoino deverá se apresentar no presídio no prazo de 24 horas, de acordo com decisão de Barbosa, sob pena de expedição de mandado de prisão. Barbosa também destacou que o ex-deputado poderá ser acompanhado pelos médicos de sua escolha e terá garantia de atendimento médico, se precisar.

>> Declarações de Lula e Collor contra STF são reflexo da imaturidade de líderes políticos

O advogado do ex-parlamentar, Luiz Fernando Pacheco, defende que ele cumpra prisão domiciliar definitiva. De acordo com o advogado, Genoino é portador de cardiopatia grave e não tem condições de cumprir a pena em um presídio, por ser “paciente idoso, vítima de dissecção da aorta”. Segundo Pacheco, o sistema penitenciário não tem condições de oferecer tratamento médico adequado ao ex-parlamentar.

>> Vida normal para a ex-quadrilha

No entanto, segundo os médicos, o quadro de saúde de Genoino não justifica tratamento diferenciado. “Não se expressa no momento a presença de qualquer circunstância justificadora de excepcionalidade e diferenciada do habitual para a situação médica em questão, visando ao acompanhamento e tratamento do paciente em apreço”, diz o laudo enviado na segunda-feira (28) ao STF.

No dia do centenário de Dorival Caymmi, neta do artista revela: "Descobri uma música inédita"

ÉPOCA

Stella Caymmi (Foto: Beti Niemeyer)



Doutora em literatura, jornalista e biógrafa, Stella Caymmi bem que tentou fugir do DNA da família. Filha de Nana e neta do saudoso Dorival Caymmi, ela vai se lançar como cantora. " Relutei porque sabia que iriam fazer comparações e não tinha certeza se estava a fim de passar por isso. Eu sou jornalista, fui assessora de imprensa por anos, e sei como as coisas funcionam", diz ela. Stella está à frente de uma série de projetos para celebrar o centenário do avô, que faria 100 anos nesta quarta-feira (30)
O CD vai ter participação familiar?
Pretendo gravar uma canção que eu fiz aos 17 anos que minha mãe já gravou. Também quero cantar um acalanto que meu avô compôs para mim quando eu nasci e que se chama 'Canção da Primeira Netinha'. Também encontrei nas minhas pesquisas uma música inédita do Dorival que quero incluir no repertório. Já convidei o Chico Buarque para gravarmos uma música juntos. Ele topou.
E os preparativos para o centenário de Dori?
Tem vários projetos; uma exposição e palestras-show pelo país comigo e com meu tio, Danilo.  Vou rodar as lonas culturais do Rio de Janeiro cantando as parcerias do Caymmi com o Jorge Amado. Mas meu xodó é publicar o livro com entrevistas que fiz com meu avô ao longo de dez anos preparando sua biografia. Com este livro, vou considerar meu dever cumprido.
Como ficou a partilha de bens após a morte do Dorival?

Minha mãe foi a inventariante e ela e meus tios, por mais que não pareça, se entendem muito bem. Debaixo da nossa esculhambação, há um amor entre todos nós que, ainda que beire a passionalidade, nos mantém unidos. Mais que unidos, atados. E todos somos apaixonados por Stella e Dorival, que nos deram muito. Então, sempre acaba dando tudo certo. Sobre a parte mais burocrática, meu tio Danilo é quem administra a empresa da família, Rosa Morena. Ele tem tino para isso, lida bem com as novas tecnologias e consegue conciliar tudo com sua carreira.
Que lembranças guarda do seu avô?
Quando eu tinha uns cinco anos, ele encolhia o barrigão, a bermuda caía e ele ficava só de cuecas.  A gente ria de se acabar. Quando eu e meus irmãos moramos com ele, em Salvador, minha avó costumava fazer os deveres da escola comigo e meu avô só assistia. Uma vez ela perguntou quem descobriu o Brasil. Eu, sem titubear respondi: Jorge Amado. Meu avô quase morreu de rir. Achou o máximo e contou para todo mundo. A Bahia inteira ficou sabendo.

Dirceu reclama das condições na Papuda: “Ó lá a goteira”

Deputados da Comissão de Direitos da Câmara visitaram o Complexo da Papuda. Saíram com opiniões divergentes quanto às condições do ex-ministro

REDAÇÃO ÉPOCA


CONEXÃO O ex-ministro José Dirceu, ao levantar o punho depois de ser condenado e preso no caso do mensalão. Um advogado ligado a ele foi contratado para representar a Astra (Foto: Sérgio Neves/Estadão Conteúdo)
“Ó lá a goteira”. Um vídeo obtido pelo jornal Folha de S.Paulo mostra como foi a visita, na terça-feira (29), de deputados da Comissão de Direitos Humanos da Câmara ao Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. Lá estão presos os condenados do Mensalão, inclusive o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, que cumpre pena em regime semi-aberto.

Dirceu se entregou a agentes da Polícia Federal em novembro do ano passado. Não está feliz. Sua pena inclui o direito de trabalhar e estudar. O ex-ministro pediu autorização para cumprir expediente em um escritório de advocacia. Ao contrário de outros condenados, não recebeu resposta. Pesa sobre ele a suspeita de ter usado um celular dentro da prisão. No vídeo obtido pelo jornal, Dirceu reclama : segundo ele, além de não poder trabalhar, só consegue sair para o pátio por volta da 17h, quando resta pouco Sol. Diz também que há uma goteira na cela.
>>Secretaria de Segurança apura se José Dirceu usou celular na prisão

A visita dos deputados foi resultado de um requerimento feito pela família de Dirceu. A intenção dos familiares é provar que, na prisão, ele não recebe privilégios. Para o Ministério Público, privilégio pode ser qualquer coisa que fira a isonomia entre os presos.

Ao final da visita, os deputados saíram com opiniões divergentes quanto à situação do ex-ministro. Para a deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), Dirceu não é tratado como os demais detentos. Sua cela é espaçosa, bem iluminada, e conta com regalias: "Conheci celas em várias unidades aqui [na penitenciária da Papuda] e as que a gente viu hoje lá em cima são celas horrorosas se comparadas à cela dele. A cela dele é iluminada, ampla, o tipo de material do beliche é diferente, tem televisão, tem micro-ondas. E não são todas as celas – é a única cela desse jeito", afirmou.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, a presença de eletrodomésticos não representa privilégio: todos os presos podem ter os seus se tiverem bom comportamento e se a família levar. Ao G1, o deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA) disse que Dirceu assistia ao jogo entre Bayern de Munique e Real Madrid quando os deputados chegaram. Aos presentes, Dirceu repetiu as reclamações feitas por sua defesa, de que está cumprindo um regime fechado de cadeia, uma vez que o Ministério Público ainda não analisou seu pedido para trabalhar. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, já se manifestou favorável ao pedido. Falta a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa.

A deputada Luíza Erundina (PSB-SP) discordou da ideia de que Dirceu receba melhor tratamento: “Nós vimos uma cela modesta, uma cela malconservada, cheia de infiltrações, gotejando água no corredor, na porta da cela, é isso que a gente viu. Ao contrário, acho que o tratamento que é dado a ele, muitas vezes, lhe tiram aquilo que é dado a outro preso”.
RC